Monday, July 07, 2014

Estou nessa pra valer

Hoje li um texto no blog da Ali Edwards, e parece que ela tirou as palavras da minha boca. O título é 
The Long Haul Memory Keeping Attitude, para ler a postagem dela é só clicar aqui,

Gostei e me identifiquei tanto, que resolvi fazer uma tradução/adaptação, e alguns comentários sobre isso.

No começo do texto dela tem essas frases:

"(...) I’m in this for the long haul.
That’s my memory keeping attitude.
Not because it’s my job, but because it’s what I love."

É difícil traduzir a expressão for the long haul, mas seria algo como até o final, por toda a duração de um longo tempo, pra valer.

Traduzindo o texto acima, seria:

Eu estou nessa pra valer.
Essa é a minha atitude em relação ao registro das minhas memórias.
Não porque é meu trabalho, mas porque é o que eu amo.

Muitas e muitas e muitas vezes ouvi: "nossa, você tem tantos álbuns! Mas é porque você trabalha com isso, né?"

Não, não é porque trabalho com isso.

Scrapbooking já foi meu trabalho em tempo integral, e agora é trabalho de final de semana, mas não é por isso que tenho tantos álbuns. É porque eu amo scrapbooking. Eu faço sobrar um tempo para organizar meus álbuns. Scrapbooking é importante pra mim, fotos são importantes pra mim, contar histórias é importante pra mim, recortar florzinhas e colar adesivos é importante pra mim. Aliás, tenho muito cuidado para que a obrigação do meu trabalho com scrap não interfira com o scrap que faço pra mim mesma.

E eu estou nessa pra valer. A longo prazo. Agora vamos a uma tradução do restante do texto da Ali (em azul), que é como eu me sinto também.

Eu estou nessa pra valer.
Essa é a minha atitude em relação ao registro das minhas memórias.
Não porque é meu trabalho, mas porque é o que eu amo.

Uma atitude "pra valer" ajuda a manter as coisas em perspectiva. Isso é o que significa pra mim:
  • Para o Project Life significa que algumas semanas terão muito conteúdo e outras terão menos. Mas o álbum flui. Eu acho que às vezes eu me senti mal porque usei mais cards com desenhos e sem ou com pouco espaço para escrever no lugar de uma história ou algo pessoal. Isso é simplesmente bobo (e uma maneira de criar regras para mim mesma). Eu superei isso, porque meu foco é no todo. E o "todo" é que não é uma única semana ou página que siginifica mais pra mim - pra mim o que importa é pode virar as páginas do álbum e ver a passagem do tempo e celebrar o processo como um todo.
  • Para fotografia significa que às vezes é uma obsessão registrar a vida através de uma lente, e outras vezes é deixar pra lá. Mas o denominador comum é a consistência de tirar fotos como um estilo de vida. Tirar fotos simplesmente se tornou parte da minha vida e eu gosto desse ritmo. É um hábito, é rotina. Às vezes eu deixo essa rotina de lado por uma semana, e tudo bem, porque eu estou nessa pra valer, a longo prazo. Isso fica claro pra mim quando procuro fotos para alguma postagem do blog ou layout e percebo que em alguns meses tem muitas fotos, e outros menos, tem sempre alguma coisa. São fotos que trazem memórias, histórias, e eu sou muito grata por ter alguma coisa.
  • Não importa estar com tudo "em dia". Importa registrar as histórias mais importantes. Uma atitude pra valer, a longo prazo, significa que essas histórias mais importantes em geral aparecem. Eu percebi que organizar o Project Life me ajuda a identificar as histórias mais longas que eu quero contar (no próprio Project Life ou em um álbum tradicional). 
  • Eu estou procurando por histórias - um evento, uma conversa, uma rotina, uma experiência, uma perspectiva. Eu estou procurando por coisas que façam da minha vida minha. Algumas dessas histórias são experiências mais comuns, outras são únicas.
Uma atitude pra valer, a longo prazo, me ajuda a deixar de lado a pressão de "ficar em dia" e me permite curtir contar histórias, tirar fotos e o processo de unir as duas coisas.

Eu estou animada pelas histórias que eu vou contar do passado e pelas histórias que vou viver no futuro e pelas histórias que unirão tudo isso.
#scrapbookingmatters

Tirar fotos como um estilo de vida.
Contar histórias, com fotos e palavras.

Sim, essa sou eu. Eu faço scrap. E não porque eu preciso. Mas porque eu amo. Porque a minha história é importante. E porque eu adoro papel e caneta. :)

#scrapbookingmatters






3 comments:

Sue Ellen Nascioli said...

Adorei o texto Flor.
Também sou dessas, nada de obrigação só paixão mesmo.
Beijocas

Bi Medeiros said...

Falou e disse, Débora! Para além da moda, das tendências, das crises, dos desânimos, acho que esse é o verdadeiro espírito do scrapbooking, as histórias que queremos contar e acompanhar. Que esse prazer se estenda por muito tempo na sua vida e na vida dos seus queridos! Bjos

Cores de Anas said...

Sentimento, acho que é a palavra certa pra definir o que amamos fazer, é como preencher a vida de cores e descobrir o que te faz tão bem.Adoro suas produções, o seu prazer pelo que você faz me encanta.
Bjinhos
Maria Teresa